Da Nudez dos Corpos e a Vida em Esparta

16113887_1443339749018129_1736851041428072485_nNuma antiga sociedade em que os valores nobres chegaram ao nível máximo, e que em certas atitudes poderia lembrar o temível Império Pan-germânico da década de 30, vemos o exemplo do que deveria ser um legado para toda a posteridade humana, tanto num sentido espiritual quanto evolutivo. Esparta era uma nação que educava seus cidadãos desde antes de nascer, segundo diz uma hipérbole de Plutarco, e as mães que geravam estes cidadãos chegavam a ser mais fortes que muitos dos homens modernos. Continuar lendo “Da Nudez dos Corpos e a Vida em Esparta”

Novo Tarot de Richard Moult

A imagem a seguir é a primeira amostra do novo Tarot de Richard Moult, de nome Non Est Secundus Quia Unus Est, que demonstra ares atuais, mas ainda com a essência alquímica da Arte. Note a nova representação da Grande Mãe, sua aparência como uma mulher simples, e que no entanto, carrega certo mistério Continuar lendo “Novo Tarot de Richard Moult”

O Aparecimento de Kalki Avatara

979c697e966df796c5c870e8ac58458a

“Depois disso, no conjunto das duas yugas, o Senhor da criação terá seu nascimento como a encarnação Kalki e se tornará o filho de Visnu Yasa. Neste momento os governantes da terra terão degenerado-se em saqueadores”.
[Srimad Bhagavatam 1.3.25]

“Ó Kesava, ó Hari, que assumiram a forma de Kalki! Você aparecerá como um cometa e levará uma espada terrível para provocar a aniquilação dos homens bárbaros ímpios no final do Kali Yuga”.
[Sri Dasavatara Stotra, 10º Sloka]

O aparecimento do Senhor Kalki, o avatar ou encarnação do Supremo, é anunciado no Srimad Bhagavatam, 12º Canto, e descrito também em detalhe no Brahmanda-Purana. Ali ele dá previsões quanto ao local onde ele vai aparecer (o nome da aldeia), quem seu pai será, qual será sua missão, e quando ele aparecerá. Continuar lendo “O Aparecimento de Kalki Avatara”

Um Rito Licantróprico de Destruição (Lykania-Hekate)

wp-1480088890525.jpeg

“Este é um ritual de destruição que chama Hekate em seu aspecto esotérico teriônico como a mãe dos licantropos. Ele serve para destruir espíritos que estão trabalhando contra você, para destruir as formas mentais de uma determinada pessoa, para livrar um lugar assombrado de fantasmas, para atacar uma bruxa ou coven, etc.”
~ V.K. Jehannum

“Com rosnados e tambores, tintura sanguinolenta e paixão pela guerra, abra os caminhos marciais de nossos Ancestrais Lupinos.”
~ Úlfgangr

Continuar lendo “Um Rito Licantróprico de Destruição (Lykania-Hekate)”

A Lei para os Lobos

wp-1486679954183.jpeg“Eis a lei da selva, tão antiga e verdadeira quanto o céu,
O lobo que a mantiver pode prosperar, mas o lobo que a quebrar deve morrer.
[Como o rio que viaja pela floresta,
a Vida se torna Odisséia;
A força da alcatéia é o lobo, e a força do lobo é a alcatéia.]

Como a trepadeira que cerca o tronco da árvore, a lei tem uma única medida;
A força da alcatéia é o lobo, e a força do lobo é a alcatéia.
Lave-se diáriamente da ponta do focinho a ponta da calda; beba profundamente, mas nunca demais;
E se lembre que a noite é para caçar e não se esqueça que o dia é para dormir.

O chacal pode seguir o tigre, mas, filhote, quando seus bigodes forem crescidos,
Lembre-se que o lobo é um caçador – vá na frente e pegue sua própria comida.

Mantenha a paz dentre os senhores da selva, o tigre, a pantera, o urso;
E não perturbe Hathi, o Silencioso, e não perturbe o javali em seu ninho.

Quando alcatéia encontra alcatéia na selva, e nenhum dos bandos sai do caminho,
Abaixe-se até que os líderes falem; podem ser palavras justas e devem prevalecer.
Quando lutar com um lobo do grupo você deve lutar só e justamente,
Deixe outros tomarem parte na luta e a alcatéia se extingue pela guerra.

O ninho do lobo é seu refúgio, e onde ele fez seu lar,
Nem mesmo o Grão-Lobo pode entrar, nem mesmo o conselho pode vir.
O ninho do lobo é seu refúgio, mas onde ele o cavou desprotegido,
O conselho deve enviár-lhe uma mensagem, e então ele deve mudá-lo novamente.

Se matar antes da meia-noite seja silencioso e não acorde a floresta com seu uivo,
Se espantar os veados do mato seus irmãos ficam sem caça.
Podem matar para si mesmos, e suas companheiras, e seus filhotes como eles necessitam,
Mas não mate pelo prazer da matança, e sete vezes nunca mate um homem.

Se pilhar sua caça de um fraco, não devore tudo em sua honra,
O Direito da Alcatéia é o direito do inferior; então deixe-lhe a cabeça e a carcaça.
A caça da alcatéia é a carne da alcatéia. Você deve comer onde ela cai;
E ninguém deve carregar dessa carne ao seu ninho, ou ele morre.

A caça do lobo é a carne do lobo. Ele pode fazer o que entender,
Mas, até que ele dê permissão, a alcatéia não come daquela caça.
O Direito do Ninho é o direito da mãe. Durante todos seus anos ela pode reclamá-lo
Um pedaço de cada caça para sua ninhada, e ninguém pode negá-la isso.

O Direito do Filhote é o direito dos pequenos. De toda a alcatéia ele pode reclamá-lo
Gozo da caça quando o caçador tiver comido; e ninguém pode negar-lhe isso.
O Direito da Caverna é o direito do pai, de caçar para ele mesmo e só;
Ele é livre de qualquer chamado da alcatéia. Ele é julgado pelo conselho a sós.

Por conta de sua idade e sua astúcia, por conta de seu domínio e de sua pata,
Em tudo que a lei deixa em aberto a palavra do Grão-Lobo é lei.
Agora estas são as leis da selva, e muitas e poderosas elas são;
Mas a cabeça e o topo da lei e sua diretriz e estrutura é – Obedeça!”

~ Rudyard Kipling (1865–1936)

wp-1486662645237.jpeg
Yaraguaçú, Lobo Sul-americano.

Continuar lendo “A Lei para os Lobos”