Soldados da Besta: Os Berserkers e a Expansão Viking

Wotan


Furor teutonicus 
(“Fúria teutônica”, denominação feita pelos cronistas romanos sobre o impulso dos germânicos em combate).

Wodan… id est furor (“Wotan… isso significa fúria”).
~ Bispo Adam de Bremen, século XI. {A ira é o “quarto pecado” cristão}

A furore normanorum libera nos, Domine. (“Da fúria dos nórdicos livrai-nos, Senhor”).
~ Oração medieval.

“O número de barcos está crescendo. O fluxo interminável de vikings continua a aumentar. Em todo lugar os cristãos são vítimas de massacres, incêndios e saques. Os vikings conquistam tudo em seu caminho. Ninguém pode lidar com eles. Eles tomaram Bordéus, Périgord, Limoges, Angoulême e Toulouse. Angers, Tours e Orleães foram destruídas. Uma incontável frota vela Sena adiante e o mal domina o país. Rouen ficou deserta, saqueada e queimada. Paris, Beauvais e Meaux foram conquistadas; as fortificações de Melun foram derrubadas; Chartres está ocupada, Evreux e Bayeux saqueadas e muitas outras cidades sitiadas”.
Ermenary de Noirmoutier — França, década de 860.

A história dos povos indo-europeus ensina-nos que toda grande obra vem em primeiro lugar do bárbaro “autêntico” e incontaminado, e das alianças de guerreiros ou männerbunden, que são as únicos capazes de mudar o mundo e o tempo através da ação direta. Neste escrito, os mais notáveis representantes do bárbaro indo-europeu e das alianças de guerreiros serão discutidos.

Continuar lendo “Soldados da Besta: Os Berserkers e a Expansão Viking”